Make your own free website on Tripod.com

 

Terapia da Regressão

 

Hipnose

 

O SONHO DA ESPADA

 

 

Guarde e Compartilhe |

 

 

 

Não deixe de ler a página explicativa dos exemplos.

 

 

A análise de sonho que você vai acompanhar à seguir foi realizada durante a quarta sessão de um tratamento. A paciente, uma senhora de 32 anos, estava sofrendo de uma doença gravíssima. O seu prognóstico (que já era ruim) estava sendo agravado devido ao desespero extremo em que ela se encontrava.

Durante as primeiras sessões ficou claro que a origem deste desespero era o fato dela estar sendo obrigada a enfrentar o seu interior, a fazer um balanço de sua vida e todas aquelas coisas que as pessoas fazem quando estão de frente para a morte. Devido ao seu estado físico e emocional ela não anotou a visualização. Todo o relato da visualização e avaliação que vem a seguir foram anotados pelo autor.

 

Sonho:

"Estou em um quarto. Estou deitada na cama agonizando. Eu não vejo nada lá fora, mas tenho a certeza de que a casa está em cima de um abismo. É terrível. Acordei cansada, exausta. Chorei a manhã inteira".

 

Visualização:

Ela está muito agitada. É difícil para ela aquietar-se. Ela começa a se sintonizar com o sonho. A sua face se torna de uma pessoa desesperada. Os músculos do seu corpo se contraem e se soltam fortemente. Percebo que a carga de energia envolvida nos símbolos do sonho é muito grande. Ela começa a me relatar que está no quarto, mas que está de pé. Existe uma outra pessoa na cama. Ela começa a entrar em pânico, pois descobre que é ela quem está na cama. Ela está morrendo e ela está em pé vendo tudo. Ela quer chegar perto, mas não tem coragem.

Como o nível de ansiedade estava muito alto proponho que ela explore o quarto. Ela começa a me relatar o que havia no quarto, tudo muito simples. Ressalta-se o sentimento de solidão. Ela vê a porta, resolve ir até lá e abri-la. Começa a chorar, está em pânico. "Não, não, não..." fala. Relata que ao abrir a porta ela viu um abismo negro. A casa está como que flutuando no abismo. Ela fica desorientada. Proponho que feche a porta. Ela fecha e se sente mais protegida.

Sua visão se fixa na outra que está agonizando. Ela é invadida por uma sensação de pena e uma vontade de ajudá-la. [ Isto é muito comum de acontecer, a pessoa só resolver se ajudar depois que chegou ao fundo do poço. Neste momento começam a aparecer os sentimentos positivos.] Ela tem muita dificuldade em chegar perto da outra. É como se ela encarasse a morte de frente. Ela começa a se desesperar porque quer ajudar e não sabe como. Diz que nestas horas sempre acaba atrapalhando tudo. Neste momento a outra olha para ela. A outra está pedindo algo, mas tão baixinho que ela não escuta. Ela tem medo de chegar perto e escutar. Ela então repara que em cima da mesa tem um copo d’água vazio. Ela quer água deduz. Fica feliz em poder ajudá-la. Caminha para pegar o copo. De repente fica petrificada de pânico: "ela quer água para poder morrer". Começa a chorar. Olha para a outra e seu pânico fica maior ainda. Descobre que a outra tem uma espada cravada no peito. Esta descoberta faz com que, de novo, alguns bons sentimentos apareçam, pois sente que é urgente ela ajudar a outra. Mas ela não consegue, pois sabe que qualquer coisa que fizer para ajudar vai significar a morte da outra. Ela começa a dizer: "não quero, não quero, não quero que ela morra. Se ela morrer vou ficar sozinha de novo." Fica chorando e olhando para a outra. A outra está olhando para ela como que implorando para ela lhe deixar ir ( morrer ). "Ela quer ir..." É difícil para ela, pois pela primeira vez na vida ela sentiu que tinha alguém realmente junto dela [ veja o grau de isolamento afetivo em que esta mulher vivia ]. Ela foi tomada de amor pela outra. E amor traz renúncia. Ela resolveu levar água para a outra. Chegou perto e deu a água na boca da outra. A outra não morreu e sorriu agradecida. Chorou [ não era choro de desespero, era choro de quem redescobria o amor e a caridade dentro dela ]. Ela foi inundada pelo sentimento de amor. Seu rosto se transformou, seu corpo relaxou, sua voz mudou.

Ela olhava e curtia a outra [ que era ela mesmo ]. Começou a tomar consciência de que deveria tirar a espada cravada no peito da outra. Chegou à conclusão de que era o que tinha que fazer. O pânico voltou: a morte da outra e a volta da solidão para ela. Depois de muito excitar e de muito sofrer com o fato, ela resolve tirar a espada. Tenta puxar, mas não consegue. Olha debaixo da cama e vê que a espada atravessou o peito da outra, o colchão, e a madeira da cama. Aquilo a deixa triste... Ela sobe em cima da cama, coloca toda sua força e a espada sai. Desce da cama. Começa com um choro desesperado. A outra está morrendo. A outra morre. Ela está desesperada.... perdida, sem rumo. Diz que agora está sozinha de novo. [ Sua expressão e toda a "energia" que eu sentia saindo dela era tão bonita que eu sabia que algo maravilhoso iria acontecer. Relaxei. Pedi para que ela olhasse em volta.] Ela começa a olhar. Sua expressão muda. No chão, ao lado da porta, havia uma imagem de Nossa Senhora. Nós dois ficamos comovidos. Num impulso ela anda até a porta e abre-a. Lá fora ela começa a ver uma estrela. Esta estrela vai chegando cada vez mais perto deixando o quarto cada vez mais luminoso. Ela começa a ter medo de tanta luz. Aquela luz invade o quarto e depois vai embora. Quando ela olha para a cama começa a chorar. A outra não está mais lá. Seus sentimentos se embaralham.... ela chora.... Proponho que olhe para fora...

A imagem muda, ela está do lado de fora da casa, no meio de um gramado. É bem de manhã, o sol está para nascer atrás das montanhas. Ela sente que o gramado ainda está com o orvalho. Ela começa a brincar na grama. Está feliz. Fica um tempo nesta curtição. Fala em voltar e se cala. Começa a chorar. Diz que na sua mão apareceu uma rosa, uma rosa vermelha. Ela chora de felicidade e agradecimento.

Despediu, agradeceu e voltou.

 

 

Avaliação:

A transformação que se seguiu a esta visualização foi formidável. Voltou a se valorizar, redobrou sua vontade interior de viver. Ela, que vivia isolada, descobriu novos amigos e pessoas boas começaram a ajudá-la. Retomou um contato com a família. O desespero não mais a desestruturava. Tudo isto em uma semana. ( Esta melhora na sua condição psicológica e de vida foi decisiva para a melhora da doença que tanto a fazia sofrer. )

 

Comentário:

O que a visualização mostrou foi o inconsciente libertando as energias positivas para agir mais intensamente na vida desta pessoa. Como sua vida estava regida por forças negativas ela só atraía pessoas e situações negativas. Atraia pessoas e situações que a faziam ir cada vez mais para baixo, aumentando seu sentimento de solidão e desvalorização. Com a liberação de suas energias positivas ela passou a atrair pessoas e situações positivas. O seu trabalho passou a ser: tornar as energias e os sentimentos positivos cada vez mais fortes a fim de evitar que voltasse a ser prisioneira das energias negativas e de seu sofrimento.

Este exemplo mostra claramente como a própria visualização já é altamente transformadora. Durante a visualização ocorreu o fenômeno da Alquimia Simbólica, ou seja, a transformação dos símbolos que estavam "orientando" a vida desta pessoa. Cada um de nós possui inúmeros símbolos que organizam nossa vida, transformar estes símbolos significa transformar nossa vida. Através da visualização a pessoa conseguiu reencontrar dentro dela os símbolos de vida, renascimento, confiança, fé, etc, que liberaram uma energia positiva tão grande na vida desta pessoa que em apenas uma semana sua vida mudou. Isto acontece independentemente do processo do compromisso ético ( este compromisso serve para potencializar as transformações interiores ), pois uma vez liberadas as energias arquetípicas ligadas aos símbolos, esta energia e estes símbolos passam a atuar positivamente na vida da pessoa.

Este é um exemplo de como a Alquimia Simbólica pode ser utilizada nas mais diversas situações e como ela é capaz de promover transformações que vão propiciar uma grande melhoria até no nível físico do ser. As pessoas que estão passando por graves problemas físicos têm na Alquimia Simbólica um poderoso aliado para ajuda-los.

Esta visualização durou aproximadamente 30 minutos. Foi um tempo que ela precisou para enfrentar seu drama interior e assim poder transformar seu destino. Isto é muito bonito de ver na análise dos sonhos: através dela a paciente pôde encontrar uma nova forma de ser e de se relacionar com o mundo.

Muitos fatos a gente presencia quando utiliza a Alquimia Simbólica. A Alquimia Simbólica lida com as forças divinas que todos temos dentro da gente. Cada um vai dar uma explicação. Mas a verdade é que a gente começa a acreditar cada vez mais na capacidade das pessoas encontrarem seu caminho, serem felizes e fazerem aqueles à sua volta mais felizes. Isto tudo porque dentro da gente nós temos Deus e sua infinita misericórdia.

 

 

 

 

 

 

Anterior

Home

Próximo

 

 

 

Conheça o autor

Cursos e Consultas

 

 

Terapia da Regressão

Hipnose

Terapia de Vidas Passadas

 

 

FACEBOOK: http://www.facebook.com/mesquitaregis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Todo o conteúdo escrito deste site está registrado no Escritórios de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional.

Proibida a reprodução de qualquer parte sem a autorização escrita do autor.

 

Copyright © 1996 - 2012 by Regis Soffiatti Mesquita de Oliveira